Pular para o conteúdo principal

13 Fatores da Consciência Missionária

SETEMBRO - MÊS NACIONAL DE MISSÕES

1. Propósito de Deus - Ele tem chamado do mundo um povo para si, enviando-o novamente ao mundo, para fazer discípulos de todas as nações (Mt. 25.19; Jo. 20.21; At. 15.14).

2. A Autoridade da Bíblia - Como inerrante e infalível Palavra de Deus, afirmamos o poder dasEscrituras Sagradas para efetuar o propósito de Deus na salvação do homem (Rm 1.16; 2 Tm. 3.16).

3. A Universalidade de Cristo - Afirmamos que só existe um Salvador e um só Evangelho, em­bora haja uma variedade de maneiras de se realizar a obra de evangelização do mundo (Jo. 4.42;At. 4.12).

4. A Natureza da Evangelização - Evangelização em si é a proclamação do Cristo bíblico e his­-tórico como Salvador e Senhor, com o propósito de persuadir os homens, para que por intermé-­dio Dele se reconciliem com Deus (At. 20.47; 2 Co. 5.11, 20).

5. A Responsabilidade Social Cristã - "A fé sem obras é morta", embora a reconciliação do homemcom o homem, não signifique a reconciliação deste com Deus, nem ação social, evangelização, afir­-mamos que ambos são parcelas do nosso dever cristão (Gn. 1.26-27; Lc. 6.27,35; Tg. 2.14-26).

6. A Igreja e a Evangelização - A Igreja ocupa o ponto central do propósito divino, ela é o instru­-mento para difusão do Evangelho. A evangelização mundial requer que a Igreja toda, leve a todo omundo, o Evangelho Integral em trabalho mútuo de cooperação (Jo. 17.21-23; At. 1.8; Gl. 6.14; Fp.1.27).

7. A Urgência Missionária - Com mais de dois terços da humanidade, ainda não eficiente­mente evangelizada, como Igreja, sentimo-nos envergonhados da nossa negligência para comtanta gente. Sendo cada geração responsável pela sua geração, esta é a hora da Igreja orar fervo-­rosamente, e lançar programas visando à evangelização total do mundo (Jo. 4.9; Rm. 9.1 -3;10.11-16).

8. As Culturas e a Evangelização - A evangelização mundial requer o desenvolvimento de es­-tratégias e metodologias novas e criativas, e a cultura de um povo em parte é boa e em outraparte má, devido à Queda, por isso deve sempre ser julgada e provada pelas Escrituras, para quepossa ser redimida e transformada para a glória de Deus (Mc. 7.8-9,13; Rm. 2.9-11; 2 Co. 4.5).

9. A Educação e a Liderança - Reconhecemos a grande necessidade de melhorar a educaçãoteológica, especialmente em se tratando de líderes de igrejas, existindo em todo povo enorme ne­-cessidade de ensino e treinamento para seus pastores e aos leigos nativos (At. 14.21 - 24; Tt. 1.5,9).

10. O Conflito Espiritual - Cremos que estamos envolvidos em guerra constante contra os principados e potestades do mal, que buscam destruir a Igreja e malograr sua tarefa de evangelizar o mundo, semeiam falsas doutrinas e mundanismo em nosso meio. O momento demanda vigilância e discernimento (Jo. 17.15; Ef. 6.10-20; 2 Co. 4.3).

11. Liberdade e Perseguição - A liberdade de praticar e propagar o Cristianismo de acordo com a vontade de Deus é um direito nosso, conforme a Declaração Universal dos Direitos Hu­manos, mas não nos esqueçamos de que Jesus nos advertiu de que a perseguição é inevitável, mas nem por isso devemos nos intimidar (Mt. 5.10-12; At. 4.16; 21)

12. O Poder do Espírito Santo - A evangelização mundial só se concretizará com uma Igreja cheia do Espírito Santo, sendo Ele quem convence o homem do pecado. O Espírito Santo tem um profundo interesse missionário (Jo. 7.37-39; At. 1.8; 1 Co. 2.4-5).

13. O Retomo de Cristo - A promessa da segunda vinda de Cristo representa um incentivo a missões. Cremos que o período intermediário entre sua ascensão e o seu segundo retorno deve' ser usado para o cumprimento da nossa missão como Povo de Deus, a obra missionária não poderá parar enquanto Ele não vier (Mc. 13.10; 2 Pe. 3.13; Ap. 7.9).

Síntese do Pacto de Lausanne

Comentários

  1. Sidnei,

    Gostei muito da matéria, pois trabalho com missões na minha igreja. Parabéns pelas postagens.

    Graça e Paz.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

COMENTÁRIOS ANÔNIMOS NÃO SERÃO POSTADOS!

Postagens mais visitadas deste blog

Ex-genro de David Miranda contará em livro porquê deixou a Igreja Deus é Amor

SERGIO SORA ANUNCIOU EM SEU PERFIL NO FACEBOOK QUE PUBLICARÁ LIVRO  SOBRE SUA SAÍDA DA IGREJA PENTECOSTAL DEUS É AMOR. SEGUNDO ELE, O LIVRO REVELARÁ "COISAS QUE ESTÃO OCULTAS AOS OLHOS DE MUITOS" E  ESTARÁ DISPONÍVEL EM ATÉ SEIS MESES.
Apontado até então como sucessor e herdeiro natural do trono de David Miranda, de seu púlpito blindado no maior templo evangélico da America do Sul no centro de São Paulo, e de mais de 9 mil igrejas o então presbítero Sergio Sora casado com a cantora Leia Miranda (filha mais nova de David Miranda) foi desligado da Igreja Deus é Amor  em 2005 por acusações de exigir a renúncia de David Miranda da presidência da igreja e por tê-lo submetido a cárcere privado e violência. Sora nega as acusações. Nas últimas semanas em sua página no Facebook Sora divulgou a informação de que decidiu publicar em um livro os principais motivos que o levaram a se desligar da igreja há seis anos, presidida por seu ex-sogro e em que por mais de vinte anos ocupou a funçã…

Centro de Cultura e de Artes de São Carlos oferece cursos gratuitos

O Centro Municipal de Arte e Cultura (Cemac) de São Carlos oferece 626 vagas para 23 cursos gratuitos voltados para todas as idades.

As vagas são divididas entre as áreas de teatro, circo, dança, samba rock, dança do ventre, desenho, aquarela, fotografia, percussão, gaita, violão, coro, produção de beats e mandalas.

Ao todo, são 32 turmas nos períodos da manhã, tarde e noite. Entre elas há opções para crianças a partir de 6 anos até adultos com mais de 45.

A programação completa pode ser consultada no site e as inscrições devem ser realizadas no Cemac, na Rua São Paulo, 745, no Centro.

As aulas serão ministradas a partir de 25 de março no Cemac, no Centros de Artes e Esportes Unificados “Emílio Manzano” e em Santa Eudóxia.

O telefone (16) 3419-8997 está disponível, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h, para mais informações.

O Bocado Molhado - o apelo final de Cristo à Judas Iscariotes

Queriote, localidade de Moabe (Jr 48.24), a pouco mais de vinte e dois quilômetros ao sul de Hebrom, e a vinte e cinco quilô­metros a oeste do mar Morto, era uma cidade como outra qual­quer, não fosse a referência a um de seus filhos — Judas Iscariotes, no hebraico Ish-Querioth, "Homem de Queriote". Escolhido para o colégio apostólico, Judas tinha nas mãos as mais inacreditáveis oportunidades; afinal de contas, Jesus o havia escolhido para um elevado ofício: cuidar das finanças do grupo apostólico. Certamen­te possuía características que justificassem sua escolha. 
Seguindo as pegadas de Judas durante o ministério público de Jesus, podemos delinear o perfil deste, que será lembrado por toda a história como o "traidor". Suas atitudes gananciosas revelam profundas feridas, veias maléficas que o acompa­nharam durante toda a vida. Judas era o único dos discípulos de Jesus que não provinha da Galiléia; era de Queriote, Judéia. Os habitantes da Judéia desprezavam os nat…