Pular para o conteúdo principal

Métodos inovadores para a liturgia cristã?


Segundo registros históricos, o primeiro culto protestante no Brasil fora realizado no dia 10 de março de 1537. Conforme já publiquei por aqui, a pedido do navegador francês Villegaignon que havia se instalado em terras brasileiras, mais precisamente na Bahia de Guanabara no Rio de Janeiro, o reformador João Calvino enviou uma comitiva de pastores e homens de bom testemunho cristão a fim de colaborar com Villegaignon, que ao chegarem apresentaram a Deus o primeiro culto de louvor e adoração a sua majestade, e pregaram a palavra de Deus em terras brasileiras.

Segundo a história, tempos depois neste mesmo local três deles acabaram por ser martirizados por confessarem e defenderem a fé reformada, o que ficou conhecido como a Tragédia de Guanabara – o primeiro martírio de cristãos protestantes em terras brasileiras.

472 anos depois da realização do primeiro culto protestante no Brasil, como tem sido a liturgia e os cultos da igreja protestante brasileira? De que forma os evangélicos tem se posicionado em relação ao culto cristão? O crescimento fenomenal do protestantismo em nosso país tem contribuído para a estruturação de uma liturgia centrada em Cristo, ou o tempo tem se encarregado em desconstruir os princípios divinos para o culto cristão segundo as escrituras?

O culto cristão centrado nas escrituras

Escrevendo a igreja em Corinto o apóstolo Paulo muito se esforçou para não transmitir suas próprias opiniões. Foi objetivo ao afirmar que tudo quanto pregava havia de fato recebido do Senhor como orientação para a sua igreja. Conhecedor dos vários problemas que ocorriam em meio aos cristãos daquela região em relação a liturgia do culto cristão ele foi enfático ao declarar “...tudo seja feito para a edificação da igreja.” De acordo com a mesma passagem bíblica, os principais elementos da liturgia do culto cristão deveriam se basear em dois aspectos fundamentais: na revelação das escrituras e na atuação do Espírito Santo.

Em outras palavras, sob orientação divina outorgada pelo Espírito Santo e dentro dos padrões bíblicos Deus deveria ser adorado por seu povo com louvores, e seus filhos agraciados com sua palavra orientadora, instrutiva e normativa a fim de que suas próprias vidas fossem edificadas na santíssima fé. Assim, tudo aquilo que fugisse destes princípios idealizados pelo próprio Deus em relação ao culto deveriam ser rechaçados, pois além de não reconhecer a sua glória sobre todas as coisas também não possuiria nenhuma virtude para edificar seus filhos na fé. Não passaria de uma simples reunião formalista e sem vida.
E foi assim que a igreja primitiva ultrapassou fronteiras, subverteu impérios e nos alcançou através da sua mensagem. O modelo adotado de fato funcionou como o próprio Deus havia previsto!

Inovação da liturgia

Embora majoritariamente acreditemos na imutabilidade de Deus e de sua palavra, neste último século a igreja tem sido tentada a acreditar que os projetos e padrões de Deus para a igreja primitiva já não são aplicáveis a nossa época, se tornaram obsoletos, ultrapassados.

Com o avanço do secularismo, a igreja dos últimos dias tem tentado se adaptar as “pedidas” da sociedade. Participando de cultos ditos evangélicos, porém antropocêntricos constataremos que o centro da reunião estará sempre na vontade humana e na realização de seus desejos.

Muito se têm falado no incremento de técnicas alternativas com a finalidade de se atrair o maior número de pessoas possível as reuniões. Assim, a cada dia surgem novas programações com padronização semelhante a de grandes eventos culturais, artísticos e políticos onde o administrador litúrgico e seus convidados são as estrelas, os fiéis o publico admirador, e o princípio comum a sensação de se sentir bem. Shows, palestras motivacionais e reuniões sociais são os eventos de maior lotação nas ditas igrejas, formadas por pessoas comprometidas apenas com o entretenimento.

Enquanto isso, igrejas e mais igrejas aceitam cada vez mais a apresentação de “fogo estranho” no altar divino. Reuniões pra lá de descabidas, irreverentes, sem nenhuma ética cristã e extremamente exóticas são realizadas sob alegação da direção divina. Nelas seus pregadores verdadeiros pop-stars do mundo gospel utilizam-se de chavões e textos fora do contexto com a finalidade de contextualizar seus ideais dominatórios e interesseiros.

Como tudo passa amanhã essas mesmas técnicas incrementadas por esses movimentos irão passar, e se fará necessário a remodelação de acordo com os parâmetros do momento.

Inovações comprometidas com a causa do reino

Não se pode negar que há aspectos positivos em relação a recursos modernos e de conhecimentos adquiridos na contemporaneidade em relação ao culto cristão. Assim, os mesmos devem ser utilizados e administrados da forma mais satisfatória possível.
Não acredito que uma boa produção teatral, musical ou coreógrafa fundamentada na palavra de Deus e administrada de forma harmoniosa e ética fira os princípios do culto cristão, no entanto deve centralizar o papel da adoração a Deus e edificação da Igreja de Cristo.
Quando isso não acontece, tenha certeza de que estará apenas assistindo a mais um espetáculo que não transferirá de maneira alguma a honra ao criador, e consequentemente não contribuirá para o crescimento espiritual do crente. Será apenas mais um ajuntamento de pessoas onde o principal objetivo que é de fazer discípulos simplesmente não funcionará.

Renovação da liturgia

Faz-se notório uma renovação da liturgia cristã. E para que isso aconteça, é necessário um avivamento nos corações dos cristãos. E o caminho do avivamento, ou renovação espiritual começa com oração e disposição em aceitar a vontade de Deus acima de nossos propósitos. Quando de fato aceitarmos o desafio de nos entregarmos ao Senhor sem reservas, nossas atitudes transparecerão nosso desejo de estar em sua presença. Sigamos o modelo dos cristãos pioneiros segundo as escrituras. Que a oração de John L. Williams seja também a nossa: “Senhor, que a nossa preocupação não seja apenas pelo ritual, mas sim pela abertura dos nossos corações!”

Comentários

  1. A paz, Sidnei.

    Olha, que excelente reflexão, hein? Todos deveríamos ler textos como este antes de apresentarmo-nos diante do altar do Senhor.

    Que possamos ter em nossos corações a certeza de que exaltamos ao Senhor Deus durante nossos cultos. A figura do homem na igreja deve ser somente a de adorador e nada mais! Porém, com as invenções modernas, o homem tem se colocado como o centro de tudo. Tomemos cuidado, pois aquele que se exalta caíra!!!

    Honras e glórias ao nome do Senhor em nossos cultos!!!

    Deus te abençoe.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

COMENTÁRIOS ANÔNIMOS NÃO SERÃO POSTADOS!

Postagens mais visitadas deste blog

Ex-genro de David Miranda contará em livro porquê deixou a Igreja Deus é Amor

SERGIO SORA ANUNCIOU EM SEU PERFIL NO FACEBOOK QUE PUBLICARÁ LIVRO  SOBRE SUA SAÍDA DA IGREJA PENTECOSTAL DEUS É AMOR. SEGUNDO ELE, O LIVRO REVELARÁ "COISAS QUE ESTÃO OCULTAS AOS OLHOS DE MUITOS" E  ESTARÁ DISPONÍVEL EM ATÉ SEIS MESES. Sergio Sora em sua igreja no RJ Apontado até então como sucessor e herdeiro natural do trono de David Miranda, de seu púlpito blindado no maior templo evangélico da America do Sul no centro de São Paulo, e de mais de 9 mil igrejas o então presbítero Sergio Sora casado com a cantora Leia Miranda (filha mais nova de David Miranda) foi desligado da Igreja Deus é Amor  em 2005 por acusações de exigir a renúncia de David Miranda da presidência da igreja e por tê-lo submetido a cárcere privado e violência. Sora nega as acusações. Nas últimas semanas em sua página no Facebook Sora divulgou a informação de que decidiu publicar em um livro os principais motivos que o levaram a se desligar da igreja há seis anos, presidida por seu ex-sogro e

Igreja Deus é Amor proíbe “retetés” e outras práticas não ortodoxas em seus cultos

Fundada em 1962, a igreja Pentecostal Deus é Amor do Missionário David Miranda é hoje uma das maiores denominações evangélicas do país. Oriunda dos movimentos de cura divina da segunda safra do pentecostalismo brasileiro, a igreja Deus é amor chega ao limiar de seu jubileu de ouro mantendo as características que a tornaram conhecida: seu modelo de liderança centralizado em uma única pessoa (seu fundador e presidente vitalício); a extrema valorização dos usos e costumes (cujas proibições se estendem a todas as áreas da vida de seus fieis, incluindo a proibição de visitar ou participar de eventos em outras denominações); o forte uso do rádio como instrumento midiático de suporte as atividades desenvolvidas pela igreja (“império” este que agora ameaça ruir diante de recorrentes escândalos envolvendo “laranjas” e novas políticas de concessão de serviços de radiodifusão do governo federal) e a falta de compromisso com o ensino bíblico e teológico formal e sistemático, o que a difere da

Anatomia da Divisão : Os ex-obreiros da Igreja Deus é Amor, as divisões e a fundação de novas igrejas (Parte 1)

Fachada da Sede Mundial da IPDA em São Paulo Sidnei Moura De acordo com os resultados do Censo 2010 divulgados pelo IBGE, a Igreja Pentecostal Deus é Amor, fundada pelo autodenominado missionário David Martins Miranda, chegou ao seu Jubileu de ouro apresentando uma significativa retração no número de fieis. Se comparada a outras denominações que fizeram do discurso milagreiro seu carro-chefe, a IPDA foi a única a apresentar diminuição no número de congregados, diferente de outras denominações como a Igreja Universal do Reino de Deus, a Igreja Internacional da Graça de Deus, a Igreja Renascer em Cristo e a mais recente denominação milagreira – a Igreja Mundial do Poder de Deus, que ao contrário, aumentaram seu número de filiais, de congregados e de efetiva exposição nos meios de comunicação de massa. Conhecida pela valorização exacerbada dos usos e costumes como doutrina primaz, e de sua ênfase em milagres (que lhe rendeu fama e crescimento vertiginoso nos anos 80 e 90 devi