Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2019

'Abacaxi' do governo petista, Pasadena é vendida pela Petrobras

Por Renata Barreto

Hoje saiu a notícia que a Petrobras vendeu a refinaria de Pasadena por US$562 milhões para a Chevron. Parece muito, não é? Mas foi a operação de maior prejuízo da história da companhia.

Em 2006, quando Dilma era ministra da Casa Civil e Presidente do Conselho da Petrobras, 50% da refinaria foi comprada por US$360 milhões, sendo que um ano antes a Astra Oil havia pago apenas US$42 milhões. Por um problema da Petrobras com a antiga dona, uma "cláusula de put option" contida no contrato assinado obrigou a Petrobras a comprar a refinaria inteira e, pior ainda, havia previsibilidade de rentabilidade anual garantida de 6,9% ao ano para a Astra (cláusula marlim), como compensação ao investimento necessário. Dilma ordenou a interrupção desse pagamento, que levou a uma disputa judicial. No total, essa operação de compra saiu por US$788 milhões e, após acordo na justiça com a Astra Oil, pagou mais US$821 milhões. Uma refinaria que em 2005 foi comprada por US$42 milh…

Jean Wyllys abre mão de mandato e deixará o país

Por Sidnei Moura

O caricato deputado Jean Wyllys do PSOL anunciou hoje que está abrindo mão de seu novo mandato como deputado federal e que deixará o Brasil devido a ameaças que vem sofrendo.

Wyllys foi reeleito para um terceiro mandato como deputado federal pelo PSOL com apenas 24 mil votos, mas só se elegeu devido ao coeficiente eleitoral de seu partido.

Embora alegue que a motivação em abrir mão do mandato seja a onda de ameaças que passou a sofrer (e as ameaças são reais), o que acontece de fato é que o deputado perdeu relevância no cenário político mesmo no segmento com o qual pautou sua atuação: o próprio movimento LGBT não o vê mais como um representante idôneo. A atuação de Wyllys o reduziu a um mero politico caricato e folclórico.

Seu colega de partido, o deputado federal eleito Marcelo Freixo, que se elegeu com mais de 300 mil votos, também tem sido alvo de ameaças ainda até mais frequentes, mas aumentou substancialmente sua capacidade de expressão e representatividade tanto…

Posse de arma e segurança pública

Por Sidnei Moura
O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje decreto que flexibiliza a posse de armas de fogo no Brasil. Embora flexibilize  o acesso, comprar e regularizar uma arma de fogo continuará sendo uma opção para poucos levando em conta os custos da compra e do registro, além de outras exigências e limitações previstas no decreto assinado hoje.
Bolsonaro se elegeu com discurso pró armas, e fez questão de deixar claro que a flexibilização da posse era considerada por ele uma estratégia de política de segurança pública, e é uma postura que agrada principalmente os setores conservadores e neoconservadores de sua plataforma eleitoral, e que lhe dão sustentação política.
Como liberal defendo a posse e o porte de armas de fogo tão somente como um DIREITO do individuo em sua liberdade de legítima defesa e de escolher se quer ou não possuir ou portar uma arma de fogo. Rechaço veementemente a estratégia do posse e do porte de armas como política de segurança pública.
Reduzir ou acabar co…

É na política externa que o PT mostra sua verdadeira face

Por Sidnei Moura

O caso Cesare Battisti e o apoio incondicional do PT e de parte da esquerda ao ditador venezuelano Nicolas Maduro mostra a verdadeira face do petismo e de parte dos partidos e movimentos de esquerda no país, que em questões internas clamam por justiça e democracia, mas insistem em flertar com pessoas, regimes, ideias e movimentos criminosos e antidemocráticos em todo o mundo por compactuar com suas ideologias retrógradas.

O CASO CESARE BATTISTI

Cesare Battisti foi condenado na Itália por cometer diversos crimes em nome de uma ideologia de orientação comunista. Fugiu para o Brasil, e teve sua deportação solicitada pelo governo italiano. O STF concluiu a análise do processo manifestando-se favoravelmente a sua deportação, mas o então presidente Lula em seu ultimo dia de governo concedeu asilo politico ao companheiro alegando "perseguição política". Com sua prisão na Bolívia nesse domingo, petistas e integrantes da esquerda vieram a público criticar a posição d…